CLÁUDIO AJUDA-ME

… Gosto porque gosto (mesmo que não goste sempre do mesmo)

Por

… Gosto muito de andar a pé. Pensar sozinho. Andar por andar e dar comigo a pensar nas coisas que gosto. Mesmo que tenha a imagem de chato e desapegado, gosto de acordar com uma mensagem bonita no telefone. Gosto de poesia. Gosto de sentir o cheiro a primavera  assim que abro a janela do quarto. Gosto de adormecer sem querer. Mas também gosto de dormir mais quinze minutos depois de o despertador tocar. Gosto de ver séries de humor umas atrás das outras. Gosto de passar o serão em casa. Gosto de deitar conversa fora com os amigos. Gosto de ter amigos. Gosto de soltar gargalhadas por coisa nenhuma. Gosto de dormir nu e de andar descalço. Gosto do cheiro a cama lavada e do frio dos lençóis. Gosto do cheiro a café e de beber um abatanado. Gosto de pão integral, de comer chocolate, de conduzir sem trânsito, de ter vontade de conduzir. Gosto do Alentejo e de tudo o que ele me representa. Gosto da minha rua, de subir o Príncipe Real, de parar numa esplanada. Gosto de viajar, da expectativa da viagem, de descobrir coisas novas, mas também de ir e estar nos mesmos lugares de sempre. Gosto de me sentir em casa fora de casa. Gosto de desfazer malas. Tenho algumas saudades de subir as escadas do meu antigo prédio. Gosto de pensar. De estar parado a pensar e de misturar o pensamento com o sonho. Os domingos são férteis nisto.

 

Leiam também um destes artigos: