CLÁUDIO AJUDA-ME

…. As cenas do casamento de Júlia (A noiva e o vestido da mãe, que será da filha)

Por

… Não gosto de escrever muito sobre quem me rodeia, muito menos elogiar. Mas também não posso achar que escrever sobre elas pode, de alguma forma, condicionar o que acho sobre qualquer posição mediática e a Júlia Pinheiro teve um ato de generosidade bonito para com quem a segue, e principalmente para com quem segue a sua aplicação ‘Júlia- de bem com a vida!’. Para assinalar o mês das noivas, Júlia revela as cenas do seu casamento! Um conjunto de fotografias, dando grande destaque ao vestido de noiva que já antes tinha sido usado pela sua mãe. Bonito não é só ver a apresentadora revelar pela primeira vez as fotografias de um dia especial. Bonito foi ler os detalhes daquilo que contou. Como tudo aconteceu, onde aconteceu. O vestido, hoje com 56 anos, poderá vir a ser usado pela sua filha Carolina e passa assim por três gerações. Eu, que ligo muito a detalhes desta natureza acho ver o casamento de Júlia um momento delicado, ternurento e de uma importância incomensurável. Tão delicado como a generosidade de Júlia ao revelar uma fotografia da sua mãe usando o mesmo vestido e tão generoso como ela revelar que toda a vida tinha dito que não casava ‘até conhecer o Rui’, e que jamais mudaria de nome por homem nenhum ‘até conhecer o Rui’. Para a maioria das pessoas pode ser só um texto numa aplicação e algumas fotografias de um casamento que aconteceu há 31 anos. Mas quem perceber disto sabe que a generosidade mediática com quem segue cada personalidade é retratada nestes momentos e fazem toda a diferença. Júlia não tinha de o fazer. Maio é um mês com tudo dentro e o pretexto do casamento tem milhões de conteúdos. Júlia fê-lo por generosidade. A mim é o que me parece. E eu, que ligo estas coisas, que acho que a vida mediática é feita de uma saudável troca, fico grato por isso. As coisas têm o seu momento e na vida pública de Júlia, que terá quase tantos anos como o seu casamento, fez agora sentido tirar estas fotografias da gaveta. Um dia especial, com um castelo só para ela numa altura em que não havida esta catrefada de lugares para casar. Bonito e romântico, porque, contrariando a história na sua maioria, o organizador do enlace foi o noivo. Rui, o homem da voz de fogo que a conquistou no primeiro dia que se cruzaram e com quem jurou em Vila Nova de Cerveira, entre etapas de uma volta a Portugal em bicicleta, e com quem prometeu ficar junta na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, na riqueza e na pobreza…. Digam o que disserem é generosidade mediática. Era bom que muitos colocassem aqui os olhos, perceber que mostrar retratos da sua vida não é invadir a intimidade. É dar um pouco do muito que se recebe todos os dias de quem acompanha o trabalho. Se é obrigatório fazê-lo? Não! Mas é bonito e atencioso. A aplicação está novinha em folha, mais leve, mais fácil e ainda por cima não se paga nem um cêntima por ela. Verdade! Descubra-a Aqui

Leiam também um destes artigos:
… A LUISA O QUE É DE LUISA (DEIXEMO-NOS DE PALPITES!)
… APAIXONEI-ME POR ELE! (ASSIM QUE O VI)
… UM BUSTO DE HOMENAGEM (QUE PARECE UM SUSTO DE HOMENAGEM)
… O COENTRÃO E A CARTA DE CONDUÇÃO! (TANTA CONFUSÃO)
… PELA PRIMEIRA VEZ FALOU (A CLÁUDIA JÁ NÃO É A EX DE …)
… NICOLE KIDMAN (A SENHORA DO ANÉIS)