CLÁUDIO AJUDA-ME

… A ver se nos entendemos (Se eu disse, está dito!)

Por

… Vamos por partes: a notícia sobre a separação de Bruno Carvalho, dada por mim em equipa no programa Passadeira Vermelha, depois de contrastada em três frentes, como aconteceu com a gravidez (em que me desmentiram), é absolutamente certa. Bruno Carvalho, ao que parece, apareceu em público com Joana Ornelas num evento desportivo. Um jogo do Sporting, onde Joana teria de estar – acredito eu – por ter um cargo de direcção, que, pelo que sei, desempenha com distinção e grande profissionalismo. Acho muito bem que ali estejam juntos mas em nada isso desmente a informação que eu dei. No máximo, contrariaria a informação e desmentiria outras informações dadas por outros meios de comunicação (não por mim) que, sem contrastantes nem perguntas, se limitaram a reproduzir, não o que viram no programa, mas o que escutaram na rua no dia seguinte, e já se sabe que quem conta um conto acrescenta um ponto… Porque se tivessem ouvido o que eu disse no programa, ouviam de forma clara que o que ali se diss0, que foi – e repito – que Bruno de Carvalho e Joana viveram a primeira grande crise na relação, que Joana e Bruno estiveram uns dias separados, que Joana foi para casa dos pais e que poderiam voltar, com pazes feitas, naquela mesma noite. Não anunciei o divorcio e acrescentei ainda que poderia ser apenas um arrufo. Logo, e olhando para o que hoje se diz, que o casal foi visto junto, apesar de perceber uma vontade de tirar crédito à minha informação, só lhe dá ainda mais credibilidade. Reparem, não só contei a crise como ‘adivinhei’ que, horas depois da notícia dada, voltariam para os braços um do outro. Fico feliz que Bruno e Joana estejam felizes, porque eu sou pela felicidade, mas não permito que alguém ache que não se pode falar sobre a privacidade de um casal que expôs publicamente o dia do seu casamento – para não falar de outras situações – transformando-o num acontecimento nacional. Como sou uma alma generosa, para quem não sabe ouvir, não quis ouvir ou se limita a denegrir, fica aqui o vídeo de parte do programa onde eu comunico ao mundo o que se passou. E, mais uma vez, depois de ver o vídeo, fico com a certeza que não há ninguém neste País que faça isto melhor que eu que, nesta altura, passadas quase 48 horas, mantenho exactamente o que disse sem retirar uma vírgula. Estamos entendidos? Era isto.

 

Leiam também um destes artigos: